quarta-feira, 3 de junho de 2009

Muito difícil, sem exageros


Muito difícil. É assim que a organização da maratona de revezamento Bertioga-Maresias classifica o último trecho da prova. Com 10,8Km saindo de Cambury até a praia de Maresias, o percurso não teria nada de especial se não fosse uma pequena (curta) serra de 350 metros de altitude separando Boiçucanga de Maresias. Bom, depois de correr esse trecho (mais ou menos), posso dizer com propriedade que eles não exageraram em nada.

Peguei o chip do Renato já com 6:40' de prova. Minha posição não era muito desafiadora, pois seria impossível correr para pegar a medalha de prata, por outro lado o bronze já estava garantido, a menos que eu fizesse acima de 1:20'. Nem mesmo a equipe 4, que estava numa saudável competição interna conosco poderia servir de referência, pois eles estavam 9 minutos atras da minha equipe, a 3.


Sem nenhum compromisso maior eu saí da praia de Cambury, quase perdi o revezamento pois tinha muita gente fechando a visão do ponto de cronometragem, e quando percebi o Renato já tinha passado o chip na placa. Saí atropelando e quase levei a grade no ombro, mas enfim não gerei nenhum atraso para a equipe. O único problema é que eu não me lembrei de ligar o cronometro, paciência.

Subidinha leve e a praia de Boiçucanga, estava passeando até então quando ao final lá estava ela - a temida serra capaz de derrotar qualquer carro que se atreva a tentar subi-la acima da segunda marcha. Já treinei bastante subida na USP com a rua do Matão, a volta do H.U. e a subida da Quimica-Biologia. Inclusive já fizemos algumas subidas ao Pico do Jaraguá. Mas quando passei do primeiro quilometro de subida, percebi que nenhum treino poderia ter me preparado adequadamente para aquilo que eu estava enfrentando.

Passei muita gente andando na subida, aliás, não encontrei ninguém correndo. Foi quando depois de uma das incontáveis curvas em subida, não obstante minha persistência em continuar correndo, não conseguia chegar perto de uma pessoa a minha frente que estava andando, olhei para o Polar e vi que meu ritmo estava a 9'50''/Km; me rendi e comecei a alternar alguns curtos intervalos de caminhada forte com a pífia corridinha de quase 10'/km. A equipe foi fundamental no apoio, me abastecendo com água gelada por todo o percurso.


Não acreditei quando o voluntário de apoio no topo da serra me disse que tinha acabado a subida, achei que ele estava com o mesmo discurso do pessoal da CORPORE, que depois de apenas 3 Km na meia marotona diziam "vamos lá campeão, está chegando, falta pouco". Mas ele estava falando sério, mais uma curva e a subida acabou, já podia ver o mar da praia de maresias lá embaixo... bem baixo.
Coloquei em prática uma técnica de descida que eu já tinha previamente acertado com o Foca e tirado as dúvidas sobre como aplicá-la - para saber mais sobre essa técnica clique aqui. Posso dizer que funcionou bem, pois consegui descer forte (pico de 3'30''/Km) e não sofri nenhuma consequencia desse impacto. Alguns trechos da descida, com inclinação de 16%, foram bem complicados pois dava medo de cair, diminuir ou mudar qualquer simples detalhe na passada era impossível.

Terminada a descida eu fui para o trecho final nas areias fofas de maresias, foi quando encontrei o Rony, para quem não é da equipe do Foca, ele é quem me acompanhou durante toda a São Silvestre - para ver o artigo sobre minha participação na
São Silvestre clique aqui. A equipe dele já tinha chegado havia um bom tempo, tanto que ele devia estar já na sexta ou sétima lata de cerveja, mas ainda assim foi lá na ponta da praia me buscar. Não sei se foi por causa do sofrimento da serra, mas corri o trecho de areia sem nenhuma dificuldade, para fechar meu percurso em 1:08'20'', e 7:48'41'' para a equipe.

Essa corrida tem muita coisa de especial - A paisagem, os percursos desafiadores e diferentes, a necessidade do trabalho em grupo e do planejamento, logística de carros de apoio, hidratação, alimentação, etc. mas o mais importante, a oportunidade de convivência com os outros integrantes da equipe. No nosso caso foram 5 equipes, o que significa 45 corredores mais os familiares. Foi um final de semana ótimo onde todos estiveram de parabéns, corredores e não corredores (ainda) e em especial o Foca e sua equipe de profissionais que tornam possível eventos como esse, com o treinamento, organização e amizade.

5 comentários:

Fabio Martins de França disse...

Wagner, excelente prova e resultado. Em relação a parte da subida me lembra muito um corrida que fiz no começo do ano em Poços de Caldas a subida do Cristo que é bem parecida a súbida que mencionou. Espero fazer essa prova que vc participou no ano que vem. Parabéns.

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Wagner parabéns pelo relato por completar essa duríssima prova...

Um abraço,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.blogspot.com

Wladimir Azevedo disse...

cara, excelente resultado.. parabéns. Esta é uma prova "pesada" PARABÉNS !!!

Marcelo Pires disse...

Parabéns Wagner, mandou bem!!!

Marcelo.

Anônimo disse...

OPA 6 OU 7 LATINHAS RSRSS PARABENS VAGNER VC SABE SEMPRE Q PRECISAR ESTAREI LA ABÇ...RONY

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br